Celulite pode ser combatida com exercícios aeróbicos

Problema causado pelo aumento das células gordurosas, que leva à elevação do tecido fibroso, a celulite é uma das vilãs da beleza feminina. Indesejados, os furinhos que insistem em aparecer na barriga, bumbum e coxas podem ser combatidos com uma rotina de exercícios combinada à alimentação saudável e tratamentos auxiliares.

As atividades aeróbicas como caminhada, corrida e bicicleta, normalmente, têm longa duração e baixa intensidade, o que estimula a perda gradativa de peso e melhora a circulação sanguínea, fatores importantes para dar fim ao problema. Para alcançar uma pela lisinha é preciso disciplina para manter a frequência dos exercícios, ao menos, três vezes por semana.

De uma maneira geral, o tempo de prática deve ser de, no mínimo, meia hora, mas pode mudar de acordo com a resistência física da mulher. “É preciso avaliar a frequência cardíaca ideal para a perda de peso de cada indivíduo por meio de um exame ergoespirométrico, que indica a melhor opção de exercício individualmente e também o intervalo em que deve ser praticado”, explica Roberto Ranzini, médico do esporte.

 Atividades

O jump é uma das melhores opções para reduzir a celulite, pois concentra movimentos que estimulam o fluxo sanguíneo nas pernas – região que mais sofre com o aspecto de casca de laranja. Devido à resistência da água, exercícios praticados em piscinas fazem com que a musculatura trabalhe mais e de forma mais abrangente, além de evitar a sobrecarga na coluna e nas articulações. Pilates também é alternativa para lidar com os furinhos, pois trabalha a musculatura de forma completa.

Exercícios anaeróbios, como a musculação, não irrigam tão bem quanto os aeróbios, mas estimulam a circulação local e, por meio da prática localizada às partes mais preocupantes, podem ser satisfatórios. Além disso, por proporcionarem o aumento de massa muscular, impedem que a gordura se concentre novamente.

É preciso aguardar de dois meses a cinco meses para notar a redução da celulite. “Muitos fatores devem ser levados em consideração, como manter alimentação balanceada durante o período e permitir que o corpo se adapte de forma saudável aos exercícios. Além disso, fatores hormonais, metabolismo e genética também influenciam”, adverte Roberto.

Continue lendo no Terra>> 

Fonte: Terra

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*