Chá-mate na mira dos cientistas

A erva nativa do Brasil ganha destaque no meio científico, ela ajuda a prevenir envelhecimento precoce, diabete, doenças cardiovasculares e tumores.

Seja como tererê, chimarrão, seja como chá quente ou gelado, o fato é que fazer chá com essa erva proporciona muito mais benefícios do que atenuar os efeitos de uma bebedeira. Graças ao interesse da ciência na planta, a cada dia suas vantagens ficam mais evidentes.

Na Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, um estudo mostra que tomar o chá-mate barra o envelhecimento celular e, assim, prolonga a juventude. Os pesquisadores selecionaram um grupo de filhotes de camundongos e os acompanharam por um ano, até se tornarem idosos saudáveis.

Daí, eles foram divididos em três grupos. Por dez meses, uma turma recebeu chá-mate natural — encontrado no mercado —, outra bebeu a versão diet e a terceira ficou à base de água.

“No décimo mês, quando o estudo acabou, identificamos vários genes relacionados ao envelhecimento em todos os grupos”, conta o professor Samuel dos Santos Valença, do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ. “Porém, eles estavam muito mais ativados nos roedores que beberam apenas água. Aliás, alguns desses camundongos morreram no nono mês.”

Já entre os que tomaram mate natural e especialmente o diet, os genes da velhice ficaram em silêncio.

Além disso, a pelagem desses bichos era mais bonita e sedosa. Apesar da análise dos genes ter ficado restrita ao pulmão, os estudiosos acreditam que o resultado vale para outras estruturas.

“Os animais que beberam mate viveram mais e melhor. Portanto, dá para supor que os benefícios não estão ligados apenas ao sistema respiratório. Nosso próximo passo é repetir o experimento para avaliar as condições dos outros órgãos”, informa Valença. E só para constar: estamos falando de genes que também existem no homem. Ou seja, a chance de os efeitos se repetirem em seres humanos — prolongando a vida e mantendo a pele jovem por mais tempo — é bem alta.

Ainda é cedo para afirmar qual substância específica da erva está por trás da ação pró-juventude. Por enquanto, a hipótese é de que o ácido clorogênico é o maior responsável pela façanha. “Trata-se do principal antioxidante encontrado no mate”, aposta o pesquisador da UFRJ.

Superpoderes

Aqui cabe ressaltar que ser fonte desse e de outros compostos antioxidantes dá à planta capacidade de proteger contra o surgimento de tumores. Pelo menos foi o que notaram estudantes do curso de nutrição da Universidade do Vale do Itajaí, a Univali, em Santa Catarina.

Com a orientação da professora Sandra Soares Melo, eles usaram uma droga para induzir a genotoxicidade em 36 cobaias. Isso significa que o DNA delas passa a permitir alterações, favorecendo a produção descontrolada de células cancerosas. Enquanto um punhado de ratos foi tratado antes e depois com a infusão (pôr uma substância em contato com um líquido quente) da erva, preparada a 80 °C e resfriada em seguida, outros só a receberam após a doença ter sido induzida.

“O melhor resultado apareceu no grupo que foi tratado previamente e continuou ingerindo a bebida, já que alguns animais nem chegaram a desenvolver o câncer”, aponta a professora. Ficou claro, portanto, que é possível driblar fatores potencialmente danosos ao DNA — como a exposição à radiação ultravioleta ou ao cigarro — quando se deliciar com o chá-mate se torna um hábito.

É também da Univali outro trabalho que reforça essa recomendação. No caso, os cientistas estimularam os bichos a se empanturrarem de gordura. Mas apenas uma parcela deles ganhou, durante 21 dias, goles da infusão do mate. “O tempo de tratamento foi curto, mas já identificamos uma tendência à perda de peso em relação ao grupo que não tomou mate. A diferença seria bastante significativa se o período de intervenção fosse maior”, reflete Sandra.

Ao que tudo indica, a substância amiga da silhueta é a cafeína, que aparece em níveis consideráveis na planta e possui ação lipolítica. Isto é: dá uma baita força à quebra daquelas gorduras teimosas.

Nunca é demais frisar que ela também é conhecida por ativar o sistema nervoso central e, assim, estimular o estado de alerta. Fica um conselho: para quem tem dificuldade para cair no sono, é melhor evitar o mate após as 5 da tarde.

Para não deixar passar nenhum benefício, o ideal é molhar a garganta com 500 mililitros a 1 litro de chá-mate todo santo dia. E, como em geral o indicado é consumi-lo depois do almoço ou do jantar para dar força extra ao intestino, espere pelo menos uns 30 minutos antes de dar uns goles. “Caso contrário, a cafeína pode prejudicar a absorção de vitaminas e minerais”, esclarece Sandra, da Univali. Recado dado, não hesite em incorporar o chá ao seu cotidiano.

Por: Thaís Manarini
Fonte: SAÚDE, Grupo Abril

Conheça a linha de produtos da Invel para beleza.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*