Pele e verão: Como remover as manchas ocasionadas pelo sol

Especialista dá dicas de tratamentos para clarear e remover as manchas e ainda explica como é possível evitá-las, para manter uma pele lisinha e saudável

O verão é a época mais aguardada por grande parte das brasileiras que adoram tomar uma banho de sol. A exposição excessiva e sem proteção pode gerar futuras manchas escuras na pele, especialmente no rosto, constituindo um distúrbio denominado melasma.

Considerado uma inflamação crônica, o surgimento do melasma está ligado a três fatores principais: exposição ao sol, predisposição genética e alterações hormonais, pela gravidez ou pelo uso de anticoncepcionais.

O melasma se caracteriza pelo aparecimento de manchas escuras, em tom marrom, irregulares, normalmente simétricas, que atingem os dois lados da face, especialmente maçãs do rosto, testa e nariz. Apesar do sol ser agravante na contribuição para o desenvolvimento do melasma, estas manchas também estão associadas aos hormônios femininos: estrógeno e progesterona, que contribuem para o surgimento de vasinhos no rosto, manchando mais a pele.

O caso não é exclusividade apenas da mulheres. Os homens também apresentam este quadro, apesar de ser mais comum em pessoas com a tonalidade de pele mais escura, morena, já que a melanina é mais difícil de ser eliminada. Em todos os casos, consulte o seu médico se você tiver um escurecimento no seu rosto que não desaparece.

Tratamento
Segundo a Dra. Christiana Blattner, de Campinas e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o melasma pode ser clareado e até removido, mas o processo difícil. “O melasma é uma queimadura, e remove-la significa passar por um processo para rejuvenescer a pele que sofreu estas queimaduras. Rejuvenescer nem sempre é fácil. É necessário ver como o melasma se apresenta: sua extensão e profundidade, se é mais avermelhado, marrom etc. Se os pigmentos forem mais superficiais, um bom peeling pode ajudar, caso contrário, serão necessários lasers e produtos associados a filtro solar”. Ela salienta ainda, que esse processo exige muita discilpina e paciência por parte do especialista, pois o processo é lento, e se feito de forma agrassiva, como peeling ou laser fortes, pode ocasionar o efeito rebote e manchar ainda mais a pele. Neste caso, a melhor alternativa é se proteger.

Continue lendo no Jornal de Hoje>>

Fonte: O Jornal de Hoje

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*