Mitos e verdades sobre a alimentação na gravidez

Durante a gravidez e a amamentação, a mulher precisa mudar alguns hábitos alimentares. Mas nem todos. Desvendamos oito mitos (e verdades) do prato das novas e futuras mamães.

1. Carne crua ou mal passada transmite toxoplasmose
Verdade. A gestante deve evitar esse tipo de alimentação, principalmente se ela não for imune à doença toxoplasmose, que pode causar abortos e má formação fetal. As principais tentações a serem evitadas são o carpaccio e o kibe cru.

2. Comida japonesa pode causar aborto e má formação
Mito. “O peixe não faz parte do ciclo de vida do protozoário da toxoplasmose”, explica Caroline Fernandes, nutricionista do Instituto Nascer, em Belo Horizonte. Mesmo assim, é importante estar atenta à higienização da comida para evitar risco de intoxicação alimentar. “Isso não causará problemas para o bebê, mas é um desconforto para a gestante.”

3. Verduras e legumes são proibidos
Mito. Se bem lavados, não há problemas. Mas como não é possível saber ao certo como é a higienização em cada restaurante, evite comer saladas na rua. “Em casa, coloque verduras, legumes e frutas com casca de molho no cloro. Para cada litro de água, adicione uma colher de sopa de cloro. Deixe por 20 minutos e enxague com água corrente”, orienta Caroline.

4. Não pode tomar café durante a gravidez
Mito. “Com moderação não tem problema”, diz Carolina. O permitido é até duas xícaras por dia. “Mais que isso deve ser evitado, porque a cafeína passa a barreira placentária e atrapalha a absorção de ferro e cálcio.” Durante a amamentação, também não se deve extrapolar essa dose, porque o bebê pode receber o estimulante pelo leite. Além do cafezinho preto, nessa situação estão os chás verde e preto, mate e refrigerante de cola.

5. Adoçantes devem ser evitados
Mito. Açúcar em excesso pode fazer com que você desenvolva diabete e pressão alta por causa do aumento do peso, que é um grande fator de risco para a gestação. Por outro lado, pesquisadores já provaram que adoçantes não oferecem risco. Opte pelos adoçantes à base de sucralose, que são os que apresentam melhores resultados para as gestantes.

6. Cerveja preta aumenta a produção de leite
Mito. O álcool é absorvido pelo leite materno, ou seja, seu bebê também estará ingerindo esse tipo de bebida. Durante a gestação, o álcool também ultrapassa a barreira placentária, chegando até o feto.

7. O uso de suplementos deve ser interrompido
Verdade. Os termogênicos devem sempre ser proibidos, pois são à base de cafeína e, em excesso por atrapalhar o desenvolvimento do feto. “Durante a gestação, evitamos o uso de suplementos, mas em alguns casos específicos é possível montar um programa alimentar que inclui whey protein e BCAA”, explica Caroline. Consulte seu médico e nutricionista para avaliar as possibilidades.

8. Comer canjica faz produzir mais leite
Mito. O mais importante é que a mãe esteja bem hidratada. “Esse mito surgiu porque a mulher fica mais calma quando recebe atenção, como quando preparam uma canjica para ela”, explica Caroline. Essa tranquilidade ajuda na produção de leite. “Os hormônios da amamentação não são produzidos em situações de stress e cansaço”. Apesar de não aumentar a produção de leite, a canjica não tem nenhuma contraindicação.

Continue lendo no MdeMulher>>

Fonte: MdeMulher

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*